Fonte: Secom

Nos últimos dois anos de atividade do Parque, cerca de 50 empregos de alta qualidade foram gerados e mais de 50 startups foram apoiadas. Além disso, mais de 20 patentes foram criadas dentro do PTS

Visando fomentar a economia regional através da produção acelerada de novas tecnologias, o Parque Tecnológico de Sorocaba (PTS) vem ganhando cada vez mais destaque no território nacional. Nos últimos dois anos de atividade do Parque, cerca de 50 empregos de alta qualidade foram gerados, mais de 50 startups foram apoiadas e cerca de 10 já possuem estrutura suficiente para se desenvolverem sem o suporte da instituição. Além disso, mais de 20 patentes foram criadas dentro do PTS.

Para o presidente do Parque, Roberto Freitas, esse sucesso se dá graças ao trabalho que toda a equipe do PTS vem desenvolvendo, a fim de alcançar seus objetivos e estimular a busca da população pelo mercado inovador. “Um dos indicadores que demonstra a evolução da inovação é pelo número de patentes registradas. Isso significa que ideias inovadoras que possuem grande potencial de mercado estão sendo desenvolvidas e poderão impactar economicamente a região. O PTS tem cumprido esse papel importante de fomentar a inovação e o desenvolvimento da tecnologia”, afirma o presidente.

O Parque tem como seu principal objetivo delinear uma aliança entre a gestão pública e o sistema educacional e empresarial de toda a região. Assim, projetos inovadores de cunho tecnológico recebem o suporte necessário para chegarem ao sucesso. Desde a sua criação, o Parque Tecnológico foi pensado de forma estratégica para cumprir com o seu objetivo de traçar parcerias.

Com uma área disponível de 1,8 milhão de m² e mais de 12mil m² de área construída, o Parque está localizado ao final da Av. Itavuvu, na zona industrial de Sorocaba. Desta forma, garante a presença de grandes empresários no Parque e aproxima a população do mercado de trabalho; além disso, a proximidade com a rodovia Castelo Branco favorece o acesso de toda a região nas suas atividades.

Atualmente, a incubadora de microempresas é destaque das atividades do PTS: através de um chamamento público, os empresários de toda região metropolitana podem inscrever seus projetos inovadores para se instalarem no Parque. Após a aprovação, as startups já podem iniciar seus trabalhos, inserindo-se em um ecossistema pensado para favorecer o desenvolvimento de novas ideias. Entre os serviços oferecidos aos incubados, destaque para o programa de mentorias – o Poupatempo da Inovação – (que já atendeu mais de 150 empreendedores inovadores em diversos projetos), palestras, workshops, além do acesso total a toda infraestrutura disponível. Ao todo, mais de 10mil pessoas já passaram pelos eventos oferecidos pelo PTS.

Destaque no cenário nacional, o Sebrae escolheu neste ano o Parque Tecnológico de Sorocaba para ser a sede de seu primeiro posto avançado na região, intitulado “Sebrae Aqui”. O projeto visa capacitar empreendedores para as áreas de tecnologia e inovação e assim, alavancar o mercado para micro e pequenas empresas, em paralelo com a economia local.

A presença do Parque também beneficia diretamente a indústria de todo o território estadual. Além de favorecer o relacionamento com a gestão pública e aproximar as empresas das novidades tecnológicas, o PTS também oferece espaço para que as mesmas possam se instalar – diferente das startups que precisam de aceleração, a indústria pode desenvolver laboratórios de inovação dentro do Parque. Desta forma, a organização sempre estará atenta as novidades, estando um passo a frente de seus concorrentes.

Zona Franca da Inovação

O Parque Tecnológico de Sorocaba possui uma vantagem a mais quando se fala em instalação de empresas. Isso porque, em Julho deste ano, a Câmara Municipal aprovou por unanimidade o projeto de Lei 174, que prevê isenção e incentivos fiscais para empresas, universidades e institutos de pesquisa públicas ou privadas que decidirem se instalar no Parque. A denominada “Zona Franca da Inovação” oferece o maior número de benefícios possível a seus interessados, trazendo os olhares de grandes investidores para o município.

“Isso faz de nós a melhor opção para as empresas interessadas em investir em tecnologia, pesquisa e inovação. Criamos o conceito de ‘Zona Franca de Inovação’ exatamente por isso, para marcar essa nova fase do Parque Tecnológico”, explica o presidente do PTS, Roberto Freitas. “Estamos dando um salto que nos fará crescer de modo exponencial nos próximos cinco anos”, prevê o presidente.

Os estudantes também têm destaque nas atividades que o Parque desenvolve. Além da presença de universidades como Facens, Fatec, Uniso, USP, Ufscar, Esamc e Unesp, os universitários são considerados uma das chaves para a descoberta de novas tecnologias, uma vez em que pertencem a uma geração inovadora. Eles podem participar de palestras e workshops, além de estarem presentes nos laboratórios do PTS através de suas universidades ou organizações, utilizando todos os serviços do Parque a favor da geração de conhecimento. Um exemplo disso é o Coworking Universitário, um programa que desafia alguns universitários de Sorocaba a criarem aplicativos que solucionem problemas municipais.

Por meio de treinamentos e sessões de coaching oferecidas pelo PTS, cerca de 100 alunos matriculados em cursos de ensino superior que contemplam as áreas da computação e tecnologia buscam alternativas inovadoras para amenizarem os problemas de algumas secretarias municipais. Ao final do programa, os alunos que receberem destaque serão convidados a participarem do programa de estágio remunerado do Parque.

Outro programa que tem grande impacto na vida dos jovens e o #Betheboss, que tem como objetivo estimular universitários criarem sua primeira Startup. O programa que é desenvolvido em parceria com o Sebrae tem.como meta sensibilizar mais de 20 mil alunos dentro das instituições de ensino superior.

A presença do segundo polo da Universidade Virtual do Estado de São Paulo (Univesp) demonstra a atenção que o Parque Tecnológico presta aos estudantes. Além de poderem ter acesso ao conteúdo oferecido, os alunos ainda podem usufruir de toda a infraestrutura disponível (computadores, impressoras e acesso à internet) e podem realizar atividades como provas, discussões em grupo e trabalhos orientados por tutores dentro das dependências do Parque.

As crianças também não ficam de fora nas ações do PTS. O programa “Turma da Inovação” permite que escolas públicas da região metropolitana levem seus alunos para conhecer a infraestrutura e os projetos que o Parque possui. Além de uma visita completa, as crianças podem ter uma vivência na Sala Lego, um ambiente equipado para colocar as ideias em prática e proporcionar aos alunos uma imersão no mundo tecnológico, de uma forma lúdica e educativa. Ao todo, mais de 12mil crianças da rede municipal já tiveram a oportunidade de conhecer o Parque Tecnológico de Sorocaba.

Esses são alguns dos projetos que expressam a importância do Parque Tecnológico para a região metropolitana de Sorocaba. Apesar de existirem outros Parques de gestão pública em território nacional, poucos contemplam os mesmos assuntos que o PTS. No estado de São Paulo, apenas o de Ribeirão Preto e São Carlos são considerados compatíveis com as áreas de atuação de Sorocaba; em uma escala nacional, apenas os Parques Tecnológicos de Belém e de Campina Grande podem ser comparados. O que, mais uma vez, reforça a importância do PTS.

Já no cenário internacional, a IASP – International Association of Science Parks and Areas of Innovation (Associação Internacional de Parques de Ciência e Áreas de Inovação), já certificou o PTS como pertencente a rede internacional de Parques. Essa aliança reforça a conexão entre Parques Tecnológicos do mundo inteiro, fazendo com que projetos sorocabanos possam se instalar no exterior ou vice-versa. Como é o caso do norueguês Andreas Kaasi, proprietário da empresa Eva Scientific, que enxerga Sorocaba como território fértil para novas empreitadas.

O que esperar de 2019?

De acordo com o presidente do Parque, ainda há muito para trabalhar. Conforme o planejamento do PTS, novos laboratórios serão criados para oferecer mais suporte aos inseridos. Entre eles estão o laboratório de Vídeo e Imagem, com apoio do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo (Ifsp), de Energia Renovável (Ifsp e Cpfl), além do laboratório Espacial Interuniversitário.

Para fomentar o interesse da população, projetos como o Coworking Público e um FabLab comunitário serão retirados do papel. Em paralelo, visando movimentar a economia local através de iniciativas inovadoras, a Escola e a Incubadora da Economia Criativa já estarão em funcionamento. Além disso, o lançamento do Plano de Inovação de Sorocaba aumenta as expectativas para um 2019 promissor.

De fato, o Parque Tecnológico de Sorocaba, em parceria com a Secretaria de Desenvolvimento Trabalho e Renda (Sedeter), é a principal ferramenta de desenvolvimento econômico e social da região. Com a colaboração de um município em crescimento aliado a uma gestão pública eficiente, o solo regional promete oferecer bons frutos a toda nação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*
*