A Prefeitura de Sorocaba, por meio do Parque Tecnológico (PTS), realizou na manhã de quarta-feira, dia 7, a entrega dos prêmios aos vencedores do concurso “Renova Parque Tecnológico”, que deu oportunidade para que estudantes e profissionais de arquitetura desenvolvessem projetos de intervenção criativa e inovadora para tornar o PTS ainda mais receptivo, favorecendo a boa convivência de frequentadores e visitantes. Os projetos dos primeiros colocados de cada categoria serão colocados em prática no Parque e seus autores serão citados em publicações e totens descritivos no espaço da intervenção.

Na categoria estudante, a planta vencedora foi a da dupla Amabelli Portela e Ellyn Capelli, que desenvolveu um projeto de intervenção da área interna de espaço aberto e áreas verdes, onde estão instalados alguns serviços do parque. A ideia é criar espaços de convivência, por meio de mobiliário e paisagismo.

O projeto traz espaços abertos e flexíveis, que podem ser utilizados para reuniões, almoços em família ou área de estudo e trabalho. Pensando no quesito permanência, foram sugeridas redes de descanso e leitura, onde o usuário pode se deitar e relaxar. Pelo fato de o parque ser utilizado para realização de eventos como feiras e festivais, a ideia é ter uma área livre que pode ser adaptada para qualquer ocasião. No que tange ao material que será utilizado, foram pensados mobiliários modulares em concreto, com detalhes em madeira de demolição, levando em conta estética, custo dos materiais e fácil manutenção.

“Partimos da ideia do parque ser tecnológico, adequando seus espaços de convivência sustentáveis: pensamos em mobiliários que possuam acesso a tomadas, rede wifi e que seja possível a captação da energia solar para o abastecimento de sua rede elétrica. Foram utilizados matérias de baixo custo e fácil manutenção, como paletes, madeira de demolição para o deck, gramas sintéticas e vegetação em geral”, explicou Amabelli.

Já na categoria profissional, o projeto contemplado foi o dos arquitetos Diandra Rodrigues Franco e José Hidalgo Moreno Molina. O trabalho consiste em realizar intervenções na fachada e hall do parque. O foco era criar uma identidade compatível com os projetos inovadores e tecnológicos estimulados pelo complexo, além de soluções definitivas para questões de insolação por meio de materiais, mobiliário e paisagismo. “Nossa proposta parte da premissa de que o projeto precisa se comunicar com o público e interagir com aqueles que o frequentam, considerando que a tecnologia facilita e acelera esse processo de interação. A ideia é que o edifício deixe de ser apenas reativo e comece a dialogar com o meio, além de estimular sentidos, gerar espaços de convivência e troca, que possibilitem o encontro”, disse Diandra.

A dupla vencedora da categoria estudante ganhou R$ 4 mil; a segunda colocada, R$ 2 mil. Já na categoria profissional, a dupla vencedora levou R$ 6 mil e a dupla que ficou em segundo lugar recebeu R$ 3 mil. Houve, ainda, menção honrosa para os projetos do terceiro ao quinto lugar de cada categoria.

O objetivo era que os participantes tivessem ideias criativas e sustentáveis, fazendo uso de material reutilizável e de execução não muito complexa. “Quando tive a ideia de criar o Renova Parque Tecnológico, quis dar oportunidade para que profissionais de arquitetura e, sobretudo, estudantes, mostrassem seu talento e nos ajudassem a tornar o Parque ainda mais inovador e receptivo. Se, afinal, nossas matérias-primas são tecnologia e inovação, nada melhor que termos um espaço como tal. O concurso promoveu um intercâmbio entre os participantes e o Parque: do lado do PTS, havia a necessidade de repaginarmos o layout interno e externo do prédio; do lado dos inscritos, a oportunidade de ter seu talento reconhecido e divulgado, podendo, inclusive, incluir o projeto em seu portfólio”, destaca Nelson Cancellara, Diretor Executivo da Inova Sorocaba, gestora do PTS.

Confira como foi:

Total
31
Shares

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*
*