O que podemos esperar da 4ª Revolução Industrial, a Indústria 4.0? Quais são as mudanças que advém do surgimento da máquina a vapor, da produção em série e da robótica? Estes foram os assuntos debatidos, na noite desta quarta-feira (5), no PTS (Parque Tecnológico de Sorocaba).

Dois especialistas no tema dividiram o palco e falaram a executivos, profissionais de diversas áreas, professores e estudantes – muitos deles vindos de cidades da região, como Capão Bonito, por exemplo. O auditório do PTS estava lotado. Foi preciso, inclusive, instalar um telão na antessala para que todos acompanhassem as palestras.

O primeiro a falar foi o diretor executivo de pesquisa e desenvolvimento da Schaeffler América do Sul, Claudio Castro. Segundo ele, as mudanças estão acontecendo de maneira muito rápida. “Quando a Indústria 4.0 se tornar realidade também no Brasil, o que veremos são as linhas de produção dominadas por computadores que tomam decisões em todo momento, em tempo real”, adianta.

Claudio Castro disse ainda que as pessoas não devem temer as mudanças, mas precisam prestar muita atenção no que está por vir. “Hoje temos um modelo novo de smartphone a cada três meses, seis no máximo. Já nas indústrias teremos equipamentos de alto processamento”, exemplifica.

Em seguida, subiu ao palco o professor Carlos Piazza. Para ele, a Indústria 4.0 dará a chance de as pessoas retomarem a vida. “As máquinas vão tomar o emprego daqueles que fazem tarefas específicas”, afirma. “Não tente enfrentar as máquinas que você não tem a menor chance”, completa. “O que vamos precisar é do seu lado mais humano.”

Na visão de Carlos Piazza, vivemos na era do cansaço, dos extremos. Por isso, ele entende que a Indústria 4.0 dará a oportunidade de a pessoa voltar a sentir prazer em pequenas coisas que hoje estão esquecidas por conta da rotina agitada. “Só vai ficar sem trabalho aquele que se comportar como um robô.”

Despertar para o tema

O diretor executivo do PTS, Flávio Guerhardt, disse que o objetivo do evento realizado na noite de quarta-feira (5) foi o de despertar executivos e estudantes para o tema. “As mudanças já estão acontecendo. Por isso, trouxemos dois dos maiores estudiosos para o Parque Tecnológico: um ícone da indústria e um darwinista digital.” Ele destacou que esteve em Bari, sul da Itália, e visitou uma indústria onde a operação já é feita totalmente por computadores.

A Indústria 4.0 trará profundas transformações, analisa o presidente do PTS, Roberto Freitas. “Daqui a dez anos, 40% das empresas que conhecemos não existirão mais. Nosso papel [referindo-se ao Parque Tecnológico] é ser o farol deste e de outros conhecimentos”, conclui.

Presente no evento, o prefeito de Sorocaba, José Crespo, que aniversariava na data – completou 64 anos – ressaltou que o Poder Público está sempre preocupado com o futuro. Daí a necessidade de se promover e apoiar eventos que abram os olhos da sociedade para as mudanças que já estão ocorrendo no mundo todo.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*
*